O carácter essencial da revisão Parte 2

Então, qual o papel do revisor?

O alcance do trabalho do revisor é consideravelmente mais amplo do que se possa pensar à partida.

O revisor deve, obviamente, detectar erros de tradução e erros ortográficos e gramaticais, mas também é indispensável verificar o texto avaliado em várias etapas, a fim de garantir a sua correcção, exactidão e adequação.

É crucial verificar se o tradutor usou correctamente eventuais glossários e guias de estilo, e se as instruções do cliente foram rigorosamente cumpridas.

Sem um olhar atento e crítico, é fácil assumirmos que o tradutor estava 100% correcto na sua interpretação do texto original. Não obstante, o tradutor pode ter traduzido cegamente ou em modo “automático”, trabalhando quase sem pensar.

Outra importantíssima função do revisor é assegurar, em projectos com grande volume de palavras habitualmente distribuídos a vários profissionais de tradução, que as várias secções traduzidas por pessoas diferentes são coerentes e a terminologia é uniforme.

Existem ainda vários tipos de revisão que podem ser solicitados:

  • revisão comparativa
  • revisão completa
  • revisão rápida
  • revisão selectiva (apenas partes do texto)
  • adaptação de estilo
  • introdução de actualizações
  • manter a coerência e consistência no caso de vários tradutores atribuídos a um projecto
  • etc.

Qualidade do revisor

A principal missão de um revisor é rever todo o texto e realizar todas as alterações necessárias com o intuito de corrigir quaisquer problemas detectados durante a avaliação.

Obviamente, tal como o tradutor, o revisor também deve possuir determinadas qualificações e aptidões.

Cada profissional tem o seu próprio conjunto individual de competências, capacidades e conhecimentos.
Na revisão do trabalho produzido por terceiros, ao contrário do que acontece na auto-revisão, entram em cena dois conjuntos individuais de competências, capacidades e conhecimentos totalmente distintos!

Ao contrário do que acontece com uma ciência exacta, em que existe um método estipulado segundo o qual todos os realizam a tarefa exactamente da mesma forma, dois tradutores muito dificilmente produziriam uma frase igual, quanto mais um texto inteiro! Acontece precisamente o mesmo na dicotomia tradutor-revisor.

Estes parâmetros potencialmente diferentes entre o revisor e o tradutor podem causar desafios se forem contraditórios — ou podem enriquecer o processo e o resultado final da tradução quando ambos os profissionais se respeitam e se complementam.

Qualidade das alterações

A revisão e a edição são duas tarefas propensas à subjectividade, logo, existem estratégias para que sejam realizadas de forma eficiente, com o fim último de melhorar a qualidade da tradução — em vez do oposto.

Na prática, uma correcção pode ser identificada como melhoria, deterioração ou desnecessária, considerando que:

uma melhoria nem sempre significa a solução perfeita;

a deterioração é claramente quando uma parte do texto se revela pior após a correcção;

e o desnecessário indica que não era necessária qualquer alteração, ou que a alteração até era necessária, mas a correcção escolhida pelo revisor não foi bem-sucedida.

O derradeiro objectivo da revisão é melhorar o texto de chegada, portanto, qualquer alteração que não o melhore é considerada desnecessária. A qualidade das alterações relaciona-se com sermos capazes de determinar o que foi realmente mudado para melhor e que alterações devemos descartar.

Obviamente, esta é uma dimensão bastante propensa a avaliações subjectivas, porém, a decisão sobre se a versão final é melhor ou pior do que a inicial deve ser sempre apoiada por argumentos racionais. É na fundamentação racional que reside a nossa segurança, enquanto revisores.

Outra ferramenta útil para assegurar a qualidade das alterações é o feedback e a discussão entre revisor e tradutor, trabalhando em equipa de forma colaborativa.

O revisor ideal

Na nossa boutique de tradução, um pequeno grupo coeso de profissionais especializados trabalha colaborativamente, com base num procedimento de gestão da qualidade de três etapas, cada uma atribuída a um profissional distinto: tradução, revisão e controlo final de qualidade.

Assim, garantimos um resultado de elevada qualidade e sempre adequado às necessidades do cliente.

Para nós, em consonância com os nossos métodos de trabalho e procedimentos internos, um revisor ideal deverá reunir as seguintes características:

Posto isto, é razoável concluir que a revisão, embora seja um processo subordinado no mercado da tradução, impõe-se como um serviço essencial, profícuo, que se reveste de uma utilidade indiscutível.

Na Verbarium – Luso Translation Boutique, temos revisores experientes e dedicados para prestar o melhor serviço de revisão, ou tradução + revisão, possíveis. Se é o que procura, não hesite em contactar-nos!

 

Sobre o nosso blogue

Aqui, exploramos temas que nos são queridos e relevantes. Sérios, mas com um toque de humor e apimentados pela nossa paixão pela escrita! Conheça-nos “nos bastidores” e partilhe a sua opinião através dos comentários!

About our blog

This is where we explore topics that we hold dear or that are relevant. Serious, with a hint of humor and spiced up by our passion for writing! Get to know us “behind the scenes” and share your opinion in the comments section!

Categorias

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Leia mais

Leia mais

A pós-edição é uma competência relevante?

A pós-edição é uma competência relevante?

No passado, muitas vezes era mais fácil trabalhar directamente a partir do texto original e traduzir de raiz do que editar posteriormente o conteúdo gerado, normalmente de má qualidade. Porém, os avanços na tradução automática — impulsionados principalmente pelo facto de o texto pós-editado poder ser alimentado aos motores de tradução para aprendizagem — permitem agora um resultado de maior qualidade, e isto tem vindo a aumentar a procura deste serviço.

read more
Considerações sobre a Língua Portuguesa e o Acordo Ortográfico

Considerações sobre a Língua Portuguesa e o Acordo Ortográfico

O português é uma língua latina, sim, mas apenas porque deriva, juntamente com outras influências, e tal como vários outros idiomas (o castelhano, o francês, o italiano, etc.) do Latim — uma língua morta, difundida pelo antigo Império Romano, nos tempos em que o povo romano e o povo grego eram o auge da civilização, e consideravam todos os outros povos meros “bárbaros”.

read more

Read more

Read more

A pós-edição é uma competência relevante?

A pós-edição é uma competência relevante?

No passado, muitas vezes era mais fácil trabalhar directamente a partir do texto original e traduzir de raiz do que editar posteriormente o conteúdo gerado, normalmente de má qualidade. Porém, os avanços na tradução automática — impulsionados principalmente pelo facto de o texto pós-editado poder ser alimentado aos motores de tradução para aprendizagem — permitem agora um resultado de maior qualidade, e isto tem vindo a aumentar a procura deste serviço.

read more
Considerações sobre a Língua Portuguesa e o Acordo Ortográfico

Considerações sobre a Língua Portuguesa e o Acordo Ortográfico

O português é uma língua latina, sim, mas apenas porque deriva, juntamente com outras influências, e tal como vários outros idiomas (o castelhano, o francês, o italiano, etc.) do Latim — uma língua morta, difundida pelo antigo Império Romano, nos tempos em que o povo romano e o povo grego eram o auge da civilização, e consideravam todos os outros povos meros “bárbaros”.

read more

Pin It on Pinterest

Share This