Pedir orçamento

Pedido de Orçamento

Preencha o formulário abaixo para solicitar um orçamento gratuito. Enviaremos a nossa proposta com a maior brevidade possível.

    Nome*

    Empresa

    E-mail*

    Confirmar e-mail*

    Nº telefone

    NIF

    Serviço pretendido

    Prazo de entrega

    Mensagem (opcional)

    * Preenchimento obrigatório

    WhatsApp

    Pedir orçamento

    Pedido de Orçamento

    Preencha o formulário abaixo para solicitar um orçamento gratuito. Enviaremos a nossa proposta com a maior brevidade possível.

      Nome*

      Empresa

      E-mail*

      Confirmar e-mail*

      Nº telefone

      NIF

      Serviço pretendido

      Prazo de entrega

      Mensagem (opcional)

      * Preenchimento obrigatório

      WhatsApp

      Get a free quote

      Request Quote Form

      Fill out the form below to request a free quote. We will send you our proposal as soon as possible.

        Name*

        Company

        Email*

        Confirm email*

        Phone No

        VAT No

        Service

        Deadline

        Message

        * Mandatory fields

        WhatsApp

        Get a free quote

        Request Quote Form

        Fill out the form below to request a free quote. We will send you our proposal as soon as possible.

          Name*

          Company

          Email*

          Confirm email*

          Phone No

          VAT No

          Service

          Deadline

          Message

          * Mandatory fields

          WhatsApp

          Afinal, o que é mindfulness?

          A atenção plena num mundo de desatenção

          Não vamos abordar isto de uma perspectiva profissional, mas numa óptica mais leiga, como curiosos, para que todos os nossos leitores se possam identificar e retirar daqui algo de positivo.

          O termo que todos ouvimos e lemos actualmente, mindfulness em inglês, pode ser traduzido como atenção plena. 🧠

          Obviamente, temos de saber separar o trigo do joio porque no conceito de mindfulness actual, tão em voga, existe uma deturpação significativa relativamente ao conceito de atenção plena na psicoterapia ou no budismo.

          Este termo designa umestado mentalem que auto-regulamos a nossa atenção para o momento presente, numa atitude de abertura, curiosidade e tolerância.

          Esta atitude diz respeito a todas as coisas que se possam manifestar na nossa mente consciente, ou no nosso campo de atenção, e que devemos aceitar tal como as percebemos e como elas são:

          • Emoções
          • Sensações
          • Pensamentos
          • Memórias
          • Sentimentos

          Através de aprendizagem e treino, muitas vezes com base em técnicas de meditação e exercícios de respiração, caminhamos para uma tomada de consciência mais ampla dos nossos processos mentais e, consequentemente, das nossas acções.

          • Trate-se da mesma forma que trata os seus entes queridos — aceite-se tal como é e não se julgue
          • Num mundo agitado como o nosso é difícil abrandar e reparar nas pequenas coisas — abrande e preste atenção
          • Tente prestar atenção intencionalmente e de uma forma receptiva a tudo o que experimenta e faz agora — liberte-se do passado e do futuro, viva no momento presente
          • Concentre-se na respiração, medite — conecte-se com o seu ‘eu’ interior

          O básico

          Ao contrário do que possa pensar, mindfulness não significa ter uma mente completamente limpa durante as 24 horas do dia, todos os dias da semana — não se pretende atingir um estado de ascese, não somos monges. ☯️
          .
          Qualquer pessoa pode praticar mindfulness em qualquer altura e na medida que pretender.

          Vamos pôr em prática? 🧘‍♀️‍♀️

          1. Escolha a hora

          Tente encontrar um momento durante o seu dia ou a sua semana para dedicar alguns minutos ao treino da atenção plena — quer seja de manhã ao acordar, na pausa do almoço ou antes de dormir. Procure que seja regular, para que se torne um hábito. A consistência contribui para automatizar a prática.

          2. Escolha o local

          Procure um local tranquilo da sua casa ou escritório, ou até num parque ou no campo. Pode estar sentado, deitado ou até a caminhar — desde que se sinta confortável.

          3. Foque-se na respiração

          Há muitas técnicas e exercícios, mas não somos especialistas, o nosso artigo pretende apenas informar sobre o conceito — propomos então um exercício básico que qualquer um pode experimentar, que passa por focar toda a sua atenção nas sensações da respiração.

          Sinta a respiração a entrar e a sair, conte cada inspiração e cada expiração.

          4. Gira as distracções

          Distracções são inevitáveis, a menos que seja um eremita. Pode simplesmente concentrar a sua atenção nas sensações da respiração e tentar alhear-se do que o rodeia. A respiração pode funcionar como uma âncora.

          Mesmo que seja eremita, a sua própria mente vai distraí-lo. A mente vai começar a divagar a dada altura, inevitavelmente. Isto é natural, não se recrimine. Simplesmente, sempre que se distrair, tente aperceber-se disso e voltar ao seu ponto de referência — a sua âncora.

          5. Retorne ao presente

          Somos seres humanos, e vivemos num mundo em constante movimento, portanto, claro que não conseguimos ter sempre a mente limpa. A prática de mindfulness consiste em reparar nas distracções e regressar à âncora, ao momento presente, o mais suavemente possível.

          Porque é que as técnicas de respiração funcionam?

          Mindfulness não é uma ciência, mas cientificamente falando, contar as respirações aumenta a actividade no hipocampo, que é área do nosso cérebro onde se desenrolam os processos relacionados com a memória.

          Contar as respirações melhora também a conexão entre a amígdala e o córtex pré-frontal.

          Há evidências de que realizar um padrão de respirações por meio de contagem acalma o sistema nervoso, responsável pelas funções involuntárias do corpo.

          A respiração controlada e deliberada pode conduzir a alterações fisiológicas benéficas como a diminuição da pressão arterial e do ritmo cardíaco, além da redução dos níveis das hormonas do stress no sangue.

          A atenção plena não implica reservar tempo para longas sessões de meditação todos os dias. Não tem sequer de reservar uma hora por dia na sua agenda caótica. Na verdade, nem tem de dispor de meia hora por dia! Nem sequer de 15 minutos… ⏰

          O maravilhoso disto tudo é que basta tão pouco tempo como 2 a 5 minutos por dia de respiração concentrada para fazer uma diferença tangível no seu estado de espírito, para que se sinta centrado e com as pilhas recarregadas durante o resto do dia.

          Concluindo, a consistência é a chave! 🗝️

          Para colher os frutos da atenção plena, é fundamental praticá-la com regularidade — todos os dias, ou quase. Quanto mais consistente for a prática, mais benefícios irá colher.

          Para começar a explorar esta prática, veja o infográfico que criámos para si com 5 dicas de mindfulness básicas:

          Se gostou deste artigo percorra o nosso blogue porque encontrará, certamente, mais alguns artigos do seu agrado: https://verbarium-boutique.com/blogue/

          Se veio parar ao nosso blogue mas aquilo que procura são os nossos serviços de tradução profissional, os nossos serviços de copywriting profissional ou ainda os serviços de transcriação profissional que oferecemos, então está no lugar certo — clique aqui: https://verbarium-boutique.com/servicos-linguisticos/

          📚 Sugestão de leitura:

          Mindfulness — Atenção Plena: O plano de oito semanas que libertou milhões de pessoas do stress e da ansiedade, por Mark Williams

          Não vamos abordar isto de uma perspectiva profissional, mas numa óptica mais leiga, como curiosos, para que todos os nossos leitores se possam identificar e retirar daqui algo de positivo.

          O termo que todos ouvimos e lemos actualmente, mindfulness em inglês, pode ser traduzido como atenção plena. 🧠

          Obviamente, temos de saber separar o trigo do joio porque no conceito de mindfulness actual, tão em voga, existe uma deturpação significativa relativamente ao conceito de atenção plena na psicoterapia ou no budismo.

          Este termo designa umestado mentalem que auto-regulamos a nossa atenção para o momento presente, numa atitude de abertura, curiosidade e tolerância.

          Esta atitude diz respeito a todas as coisas que se possam manifestar na nossa mente consciente, ou no nosso campo de atenção, e que devemos aceitar tal como as percebemos e como elas são:

          • Emoções
          • Sensações
          • Pensamentos
          • Memórias
          • Sentimentos

          Através de aprendizagem e treino, muitas vezes com base em técnicas de meditação e exercícios de respiração, caminhamos para uma tomada de consciência mais ampla dos nossos processos mentais e, consequentemente, das nossas acções.

          • Trate-se da mesma forma que trata os seus entes queridos — aceite-se tal como é e não se julgue
          • Num mundo agitado como o nosso é difícil abrandar e reparar nas pequenas coisas — abrande e preste atenção
          • Tente prestar atenção intencionalmente e de uma forma receptiva a tudo o que experimenta e faz agora — liberte-se do passado e do futuro, viva no momento presente
          • Concentre-se na respiração, medite — conecte-se com o seu ‘eu’ interior

          O básico

          Ao contrário do que possa pensar, mindfulness não significa ter uma mente completamente limpa durante as 24 horas do dia, todos os dias da semana — não se pretende atingir um estado de ascese, não somos monges. ☯️
          .
          Qualquer pessoa pode praticar mindfulness em qualquer altura e na medida que pretender.

          Vamos pôr em prática? 🧘‍♀️‍♀️

          1. Escolha a hora

          Tente encontrar um momento durante o seu dia ou a sua semana para dedicar alguns minutos ao treino da atenção plena — quer seja de manhã ao acordar, na pausa do almoço ou antes de dormir. Procure que seja regular, para que se torne um hábito. A consistência contribui para automatizar a prática.

          2. Escolha o local

          Procure um local tranquilo da sua casa ou escritório, ou até num parque ou no campo. Pode estar sentado, deitado ou até a caminhar — desde que se sinta confortável.

          3. Foque-se na respiração

          Há muitas técnicas e exercícios, mas não somos especialistas, o nosso artigo pretende apenas informar sobre o conceito — propomos então um exercício básico que qualquer um pode experimentar, que passa por focar toda a sua atenção nas sensações da respiração.

          Sinta a respiração a entrar e a sair, conte cada inspiração e cada expiração.

          4. Gira as distracções

          Distracções são inevitáveis, a menos que seja um eremita. Pode simplesmente concentrar a sua atenção nas sensações da respiração e tentar alhear-se do que o rodeia. A respiração pode funcionar como uma âncora.

          Mesmo que seja eremita, a sua própria mente vai distraí-lo. A mente vai começar a divagar a dada altura, inevitavelmente. Isto é natural, não se recrimine. Simplesmente, sempre que se distrair, tente aperceber-se disso e voltar ao seu ponto de referência — a sua âncora.

          5. Retorne ao presente

          Somos seres humanos, e vivemos num mundo em constante movimento, portanto, claro que não conseguimos ter sempre a mente limpa. A prática de mindfulness consiste em reparar nas distracções e regressar à âncora, ao momento presente, o mais suavemente possível.

          Porque é que as técnicas de respiração funcionam?

          Mindfulness não é uma ciência, mas cientificamente falando, contar as respirações aumenta a actividade no hipocampo, que é área do nosso cérebro onde se desenrolam os processos relacionados com a memória.

          Contar as respirações melhora também a conexão entre a amígdala e o córtex pré-frontal.

          Há evidências de que realizar um padrão de respirações por meio de contagem acalma o sistema nervoso, responsável pelas funções involuntárias do corpo.

          A respiração controlada e deliberada pode conduzir a alterações fisiológicas benéficas como a diminuição da pressão arterial e do ritmo cardíaco, além da redução dos níveis das hormonas do stress no sangue.

          A atenção plena não implica reservar tempo para longas sessões de meditação todos os dias. Não tem sequer de reservar uma hora por dia na sua agenda caótica. Na verdade, nem tem de dispor de meia hora por dia! Nem sequer de 15 minutos… ⏰

          O maravilhoso disto tudo é que basta tão pouco tempo como 2 a 5 minutos por dia de respiração concentrada para fazer uma diferença tangível no seu estado de espírito, para que se sinta centrado e com as pilhas recarregadas durante o resto do dia.

          Concluindo, a consistência é a chave! 🗝️

          Para colher os frutos da atenção plena, é fundamental praticá-la com regularidade — todos os dias, ou quase. Quanto mais consistente for a prática, mais benefícios irá colher.

          Para começar a explorar esta prática, veja o infográfico que criámos para si com 5 dicas de mindfulness básicas:

          Se gostou deste artigo percorra o nosso blogue porque encontrará, certamente, mais alguns artigos do seu agrado: https://verbarium-boutique.com/blogue/

          Se veio parar ao nosso blogue mas aquilo que procura são os nossos serviços de tradução profissional, os nossos serviços de copywriting profissional ou ainda os serviços de transcriação profissional que oferecemos, então está no lugar certo — clique aqui: https://verbarium-boutique.com/servicos-linguisticos/

          📚 Sugestão de leitura:

          Mindfulness — Atenção Plena: O plano de oito semanas que libertou milhões de pessoas do stress e da ansiedade, por Mark Williams

          Sobre o nosso blogue

          Aqui, exploramos temas que nos são queridos e relevantes. Sérios, mas com um toque de humor e apimentados pela nossa paixão pela escrita! Conheça-nos “nos bastidores” e partilhe a sua opinião através dos comentários!

          About our blog

          This is where we explore topics that we hold dear or that are relevant. Serious, with a hint of humor and spiced up by our passion for writing! Get to know us “behind the scenes” and share your opinion in the comments section!

          Tags

          abrandar (2)acordo ortográfico (3)agência de tradução (2)AI (2)aprendizagem automática (3)artificial intelligence (1)Assertividade (1)audience (1)audiência (3)auto-cuidado (1)automatic translation (1)bem-estar (2)brief (4)burnout (3)CAT tools (5)challenges (1)challenges of the translator (1)computer-aided translation (1)controlo de qualidade (3)copy de marketing (3)copywriting resources (1)criatividade (3)desafios do tradutor (2)Desempenho (2)Desenvolvimento (2)Development (1)dicas (5)discurso público (3)Emotional intelligence (2)envolvimento social (2)equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (1)erros de tradução (3)fear (1)ferramentas de gestão da tradução (4)freelancer (5)Freelancing (1)Gestão (2)gestão do tempo (1)glossários (2)human translation (1)ikigai (2)inteligência artificial (3)Inteligência emocional (2)keywords (1)language (2)Leadership (3)legal translation (1)Liderança (2)linguagem (4)Local de trabalho (2)machine-translation (2)machine learning (1)Management (1)marketing (7)marketing copy (1)medo (3)mindfulness (4)MTPE (4)orientações pessoais (2)palavras-chave (2)Performance (1)processo criativo (4)Profissão (1)proofreader (1)public speech (1)quality control (1)recursos de copywriting (2)remote working (1)resources (1)revisor (2)ritmo de vida (2)SEO (2)serviços de tradução (3)slow living (2)social engagement (3)sworn translation (1)teamwork (3)tecnologias de tradução (4)terminologia (2)tips (2)trabalho de equipa (2)tradutores profissionais (3)tradução assistida por computador (2)tradução automática (2)tradução juramentada (2)tradução jurídica (2)tradução técnica (2)translation agency (1)translation errors (1)translation management tools (1)translation services (1)translation technologies (1)wellness (3)work-life balance (1)Workplace (2)

          0 Comments

          Submit a Comment

          O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

          Gostou deste artigo?
          Inscreva-se na nossa newsletter

          Receba informações sobre as ofertas e novidades que temos para si, e fique a par da publicação de novos artigos de interesse no nosso blogue.

            Did you like the article? Subscribe to our newsletter

            Receive information about the offers and news we have for you and keep up-to-date with new blog publications that suit your interests.

              Leia mais

              Leia mais

              Gerir o tempo: como ter tempo para a família e porquê?

              Gerir o tempo: como ter tempo para a família e porquê?

              Por vezes, trabalhamos mais do que o necessário devido a factores externos ou internos, como a pressão dos outros, prazos irrealistas, lealdade para com os nossos colegas ou chefes, ou mesmo como forma de escapar a problemas pessoais. No entanto, isto pode levar a mais stress e ressentimento, ou mesmo ao burnout. Por isso, é importante perceber porque é que estamos a trabalhar mais do que o necessário e estabelecer limites saudáveis.

              read more
              Porque dizer “não” é positivo

              Porque dizer “não” é positivo

              Claro que dizer não nem sempre é fácil ou confortável. Pode ser desafiante e incómodo, especialmente se não estivermos habituados a fazê-lo ou se enfrentarmos resistência ou pressão por parte dos outros. Mas também não é impossível nem rude. É possível dizer não de uma forma educada e respeitosa, sem magoar ou ofender ninguém.

              read more

              Read more

              Read more

              Gerir o tempo: como ter tempo para a família e porquê?

              Gerir o tempo: como ter tempo para a família e porquê?

              Por vezes, trabalhamos mais do que o necessário devido a factores externos ou internos, como a pressão dos outros, prazos irrealistas, lealdade para com os nossos colegas ou chefes, ou mesmo como forma de escapar a problemas pessoais. No entanto, isto pode levar a mais stress e ressentimento, ou mesmo ao burnout. Por isso, é importante perceber porque é que estamos a trabalhar mais do que o necessário e estabelecer limites saudáveis.

              read more
              Porque dizer “não” é positivo

              Porque dizer “não” é positivo

              Claro que dizer não nem sempre é fácil ou confortável. Pode ser desafiante e incómodo, especialmente se não estivermos habituados a fazê-lo ou se enfrentarmos resistência ou pressão por parte dos outros. Mas também não é impossível nem rude. É possível dizer não de uma forma educada e respeitosa, sem magoar ou ofender ninguém.

              read more

              Pin It on Pinterest

              Share This