Pedir orçamento

Pedido de Orçamento

Preencha o formulário abaixo para solicitar um orçamento gratuito. Enviaremos a nossa proposta com a maior brevidade possível.

    Nome*

    Empresa

    E-mail*

    Confirmar e-mail*

    Nº telefone

    NIF

    Serviço pretendido

    Prazo de entrega

    Mensagem (opcional)

    * Preenchimento obrigatório

    WhatsApp

    Pedir orçamento

    Pedido de Orçamento

    Preencha o formulário abaixo para solicitar um orçamento gratuito. Enviaremos a nossa proposta com a maior brevidade possível.

      Nome*

      Empresa

      E-mail*

      Confirmar e-mail*

      Nº telefone

      NIF

      Serviço pretendido

      Prazo de entrega

      Mensagem (opcional)

      * Preenchimento obrigatório

      WhatsApp

      Get a free quote

      Request Quote Form

      Fill out the form below to request a free quote. We will send you our proposal as soon as possible.

        Name*

        Company

        Email*

        Confirm email*

        Phone No

        VAT No

        Service

        Deadline

        Message

        * Mandatory fields

        WhatsApp

        Get a free quote

        Request Quote Form

        Fill out the form below to request a free quote. We will send you our proposal as soon as possible.

          Name*

          Company

          Email*

          Confirm email*

          Phone No

          VAT No

          Service

          Deadline

          Message

          * Mandatory fields

          WhatsApp

          Transcriação: tradução + criação?

          Nas últimas duas décadas, a transcriação ganhou proeminência como prática profissional inserida na indústria dos serviços linguísticos.

          A transcriação, de uma forma talvez até um pouco simplista, pode ser definida como uma actividade relacionada com a tradução que combina processos de tradução propriamente dita com adaptação cultural e (re)criação ou reinterpretação criativa, consoante as características do texto, das instruções fornecidas pelo cliente (brief), das características linguísticas e, principalmente, culturais do público-alvo e da finalidade/objetivo do texto.

          Trata-se do processo de adaptação de uma mensagem de um idioma para outro, mantendo a mesma intenção, estilo, tom e contexto. Ou seja, não se trata da tradução literal daquilo que é dito no idioma de partida, mas de manter a mensagem, de suscitar as mesmas emoções e reter as mesmas implicações do idioma de origem no idioma de chegada.

          Assemelha-se ao conceito de localização, que consiste na adaptação de um texto traduzido a um determinado público-alvo, porém, afasta-se da localização pelo papel essencialmente criativo do tradutor.

          Envolve a adaptação não apenas de palavras, como até de vídeos e imagens — podendo nem sequer restar no texto “transcriado” uma única palavra contida no texto original, desde que retendo a mensagem e servindo o propósito do original.

          Ao contrário da crença generalizada, a transcriação vai muito além de uma mera “tradução criativa”. É precisamente pela natureza criativa que a transcriação fica a meio caminho entre a tradução e a escrita propriamente dita.

          Com efeito, a transcriação está muito mais próxima do copywriting (redacção) do que da tradução. A transcriação é copywriting, a diferença é que não se parte do zero, porque já existe um texto de referência num outro idioma que não o de chegada, e a tradução é apenas uma parte de todo o fluxo de trabalho.

          Um pouco de história

          No contexto académico, pensa-se que o termo transcriar foi introduzido na década de 60 pelo poeta, ensaísta, tradutor e editor indiano, o Prof. Purushottam Lal, que descreveu a tradução de textos antigos em sânscrito como uma tarefa na qual “o tradutor deve editar, reconciliar e transmutar; o seu trabalho, em muitos aspectos torna-se, em grande parte, um trabalho de transcriação.”

          Não obstante, o termo foi também proposto na década de 50 pelo poeta e tradutor brasileiro Haroldo de Campos, num contexto cultural muito específico — o movimento literário da Poesia Concreta, que valorizava a materialidade linguística, os aspectos da sonoridade, da grafia e até da disposição gráfica das palavras na página.

          Era dado destaque à forma sobre o aspecto semântico, que decorria posteriormente na interacção entre poema e leitor, sendo esta uma leitura aberta a opções por parte do leitor.

          Enquanto grandes autores como James Joyce rompiam com os padrões canónicos, surgia a necessidade de os traduzir. Porém, como traduzi-los preservando a essência deste tipo de produção literária, que explorava estes recursos de materialidade linguística, no processo de tradução se o significado do texto era nada mais que um aspecto secundário?

          Diante desse desafio, nasceu uma nova prática de tradução: a transcriação, desenvolvida também a partir das teorizações do poeta norte-americano Ezra Pound, com a meta principal de recriar o texto original no idioma de chegada, tentando explorar os recursos utilizados no idioma de partida, por forma a recriá-los no idioma de chegada.

          Esta nova técnica permitiu a vários autores traduzir em língua portuguesa textos clássicos desafiantes, como a Ilíada, de Homero e a Divina Comédia, de Dante.

          Embora nascida da arte e da literatura, a transcriação ascendeu lado a lado com o crescimento galopante das campanhas de marketing internacionais e globais.

          Avançando rapidamente para o século XXI, algumas agências de tradução começaram a vender-se no mercado especificamente como agências de transcriação, com profissionais de marketing e tradutores locais que pegam na essência de uma mensagem publicitária original e a adaptam ao seu próprio mercado. É fácil perceber porque é que uma campanha publicitária “transcriada”, e não simplesmente traduzida, se torna tão mais eficaz.

          Onde se aplica?

          Uma das principais dificuldades da transcriação é, precisamente, efectuar a delimitação conceptual. Na verdade, nem se trata de um conceito, o termo foi originariamente criado para designar um processo de tradução, que por acaso se distingue por ser criativo.

          Portanto, está mais relacionado com uma prática do que com uma teoria, e não tendo delimitação conceptual predefinida, é fácil percebermos como se pode tornar complexo e até elusivo. Porém, é também por isto, que esta técnica se presta para os mais diferentes propósitos.

          Como vimos acima, transcriação é diferente de tradução. Como tal, também se distingue da tradução de marketing, porque em vez de representar fielmente o texto, adapta-o com vista a despertar uma reacção emocional. Também não se trata de copywriting multilingue, que seria a criação de textos em vários idiomas sem nenhum texto de referência, com base apenas nos requisitos da marca, produto ou campanha.

          Se tivesse permanecido diluída nos processos de tradução e redacção, a transcriação nunca teria emergido, mas encontrou o seu próprio lugar e relevância no marketing justamente por ter a função muito especial de transferir a mensagem de uma campanha de marketing ou publicidade por forma a torná-la compreensível, identificável e apelativa para um público e mercado diferentes, sem deixar de respeitar a identidade da marca.

          Apesar de tudo, embora a transcrição assente como uma luva no marketing, não é aplicável apenas a esta área — é uma técnica transdisciplinar, aplicável a uma variedade de áreas.

          Está também presente em campos que nem sequer estão relacionados com a criatividade, como, por exemplo, os cuidados de saúde, área em que realiza a adaptação dos materiais de educação sanitária, visando o melhor entendimento possível e mantendo relevância cultural para os vários grupos linguísticos e étnicos específicos.

          É ainda aplicável, por exemplo, na resposta das organizações internacionais às crises (como a crise sanitária actual, em que vários documentos foram elaborados para distribuição pelos cinco continentes); nas comunicações corporativas entre filiais situadas em diferentes pontos do globo; na tradução de websites, newsletters empresariais, revistas corporativas, conteúdos de blogues e publicações nas redes sociais, trabalhos científicos destinados a apresentação em vários países, etc.

          Em geral, quaisquer materiais que devam ser persuasivos, motivacionais, e que incitem a sentir e a agir (call to action), requerem uma boa dose de sensibilidade, adaptação e criação.

          Posto isto, a transcriação assumiu-se já como uma actividade profissional bastante prolífica, presente numa grande variedade de campos e em franca ascensão. Embora ainda algo incompreendida ou até mesmo subvalorizada para a generalidade das pessoas, é inquestionável a forma como já se posicionou no nosso mercado como um serviço relevante e, em alguns casos, até essencial.

          Gostaria de saber mais? Explore o nosso website para encontrar mais informações sobre este e outros serviços!

          Tags: marketing

          Sobre o nosso blogue

          Aqui, exploramos temas que nos são queridos e relevantes. Sérios, mas com um toque de humor e apimentados pela nossa paixão pela escrita! Conheça-nos “nos bastidores” e partilhe a sua opinião através dos comentários!

          About our blog

          This is where we explore topics that we hold dear or that are relevant. Serious, with a hint of humor and spiced up by our passion for writing! Get to know us “behind the scenes” and share your opinion in the comments section!

          Tags

          abrandar (2)acordo ortográfico (3)agência de tradução (2)AI (2)aprendizagem automática (3)artificial intelligence (1)Assertividade (1)audience (1)audiência (3)auto-cuidado (1)automatic translation (1)bem-estar (2)brief (4)burnout (3)CAT tools (5)challenges (1)challenges of the translator (1)computer-aided translation (1)controlo de qualidade (3)copy de marketing (3)copywriting resources (1)criatividade (3)desafios do tradutor (2)Desempenho (2)Desenvolvimento (2)Development (1)dicas (5)discurso público (3)Emotional intelligence (2)envolvimento social (2)equilíbrio entre trabalho e vida pessoal (1)erros de tradução (3)fear (1)ferramentas de gestão da tradução (4)freelancer (5)Freelancing (1)Gestão (2)gestão do tempo (1)glossários (2)human translation (1)ikigai (2)inteligência artificial (3)Inteligência emocional (2)keywords (1)language (2)Leadership (3)legal translation (1)Liderança (2)linguagem (4)Local de trabalho (2)machine-translation (2)machine learning (1)Management (1)marketing (7)marketing copy (1)medo (3)mindfulness (4)MTPE (4)orientações pessoais (2)palavras-chave (2)Performance (1)processo criativo (4)Profissão (1)proofreader (1)public speech (1)quality control (1)recursos de copywriting (2)remote working (1)resources (1)revisor (2)ritmo de vida (2)SEO (2)serviços de tradução (3)slow living (2)social engagement (3)sworn translation (1)teamwork (3)tecnologias de tradução (4)terminologia (2)tips (2)trabalho de equipa (2)tradutores profissionais (3)tradução assistida por computador (2)tradução automática (2)tradução juramentada (2)tradução jurídica (2)tradução técnica (2)translation agency (1)translation errors (1)translation management tools (1)translation services (1)translation technologies (1)wellness (3)work-life balance (1)Workplace (2)

          0 Comments

          Submit a Comment

          O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

          Gostou deste artigo?
          Inscreva-se na nossa newsletter

          Receba informações sobre as ofertas e novidades que temos para si, e fique a par da publicação de novos artigos de interesse no nosso blogue.

            Did you like the article? Subscribe to our newsletter

            Receive information about the offers and news we have for you and keep up-to-date with new blog publications that suit your interests.

              Leia mais

              Leia mais

              Read more

              Read more

              Pin It on Pinterest

              Share This