Metalinguagem simplificada

Adam Jaworski disse que “os textos podem por vezes, curiosamente, referir-se a si próprios”. 1

O que é a metalinguagem? Talvez o conceito lhe pareça impenetrável ou até o compreenda parcialmente, mas não totalmente. Prometo que ficará finalmente a saber o que é a metalinguagem!

De facto, todos a utilizamos, embora inconscientemente, desde os tempos de escola.

Derivado do grego, o prefixo meta define algo que se refere a si próprio ou às convenções do seu género; terminologicamente, descreve algo que é auto-referencial.

A metalinguagem é também uma língua. É uma língua específica, formada por palavras e símbolos, utilizada para descrever uma língua natural.

De uma perspectiva linguística, uma língua natural é toda aquela que não foi criada artificialmente. Todas as línguas naturais contêm metalinguagens inerentes, ao contrário do que acontece com muitas línguas não-naturais.

As metalinguagens podem ser usadas para analisar línguas específicas, mas também a linguagem em geral.

Uma vez que estamos a falar de uma linguagem que se refere a si própria, podemos dizer que este é um processo reflexivo.

Os modelos sintácticos formais para a descrição gramatical são um tipo de metalinguagem. De uma perspectiva mais ampla, uma metalinguagem pode referir-se a qualquer terminologia usada para descrever uma língua, tal como uma descrição gramatical ou uma discussão sobre o uso de uma língua.

Palavras familiares como substantivo, verbo, adjectivo, preposição e advérbio são exemplos de metalinguagem, utilizadas para explicar e representar a linguagem. Outros exemplos conhecidos seriam voz passiva, voz activa, gerúndio.

Está a ver? Afinal já utilizou metalinguagem!

Metalinguagem e comunicação

Os humanos expressam os seus pensamentos, sentimentos, emoções e impressões através da linguagem, não é verdade?

E através da linguagem são também capazes de transmitir e receber informação objectiva sobre o mundo que os rodeia. A metalinguagem não está relacionada apenas com a terminologia, mas também com a forma como falamos e o com impacto da forma como o fazemos para sermos bem-sucedidos na nossa comunicação quotidiana.

Como muitas palavras podem significar coisas diferentes para pessoas diferentes, a nossa escolha de palavras pode condicionar a interpretação das outras pessoas, mesmo que existam apenas ligeiras divergências.

Numa perspectiva mais filosófica, o que determina se o que dizemos é verdadeiro ou falso é a lógica da semântica e não a intenção ou o significado real da frase. Ao aderirmos à lógica, evitaremos o julgamento metafísico, uma vez que a lógica tornará tal julgamento inválido. Mas não entremos nesse campo! Vamos permanecer no lado prático e mais familiar da metalinguagem.

Exemplos práticos de metalinguagem

Todos nós estudámos, analisámos e interpretámos textos e as intenções de autores na escola, correcto?

Ao trabalhar com textos, estávamos a analisar a respectiva metalinguagem. É ela que nos ajuda a interpretar o que os autores poderão estar a tentar dizer e é ela que nos dá uma visão mais ampla das ideias que nos pretendiam transmitir.

Uma escrita completamente linear seria muito provavelmente entediante. Assim, uma vez que os escritores usam figuras de estilo e outros recursos literários como prefiguração e flashbacks para captar e reter a atenção do leitor, a escrita literária é especialmente rica em metalinguagem!

Quando escrevemos uma dissertação na qual interpretamos a forma como um autor escreve recorrendo a palavras como simbolismo, imagens ou personificação, estamos a usar uma linguagem que descreve a linguagem.

Por exemplo, quando os estudantes de jornalismo trabalham em notícias, muito provavelmente encontrarão linguagem abstracta, como, revolução, justiça, legalidade, direitos... Podem ainda encontrar linguagem incomum enquanto analisam a informação mediática, como retórica, aliteração, analepsia, metaficção, tom, ritmo...

Nos livros, exemplos de metalinguagem podem ser: narrador, personagens, descrição, localização, romance, poesia, prosa, conto, narrativa linear/não-linear, passado, presente, futuro, tom, diálogo, clímax, final...

No cinema, exemplos de metalinguagem podem ser: ângulos de câmara, cenário, mise-en-scène, iluminação e música, protagonista, antagonista, personagens secundários, plot-twist...

A metalinguagem comum a ambos os campos seria: aventura, comédia, terror, crime, drama…

Está a ver o filme? Passe a expressão.

A importância da metalinguagem

À luz do que discutimos acima, começamos a compreender a relevância da metalinguagem. Mas vamos aprofundar um pouco mais.

Ao escrever, se incluir intencionalmente metalinguagem, pode tornar a sua escrita um pouco mais sofisticada, intrincada e única.

Por vezes, a metalinguagem é metafórica e abstracta. A linguagem conceptual tende a ser abstracta, ou seja, relacionada com temas ou conteúdos contidos no texto ou associados à análise literária.

A metalinguagem é também utilizada para descrever a sintaxe das linguagens de programação. Tanto a lógica matemática como a linguística utilizam a metalinguagem. 🧮

Em temas mais literários, para realizar uma boa revisão ou controlo de qualidade, um tradutor profissional não pode ficar preso ao seu próprio quadro de pensamento. Por norma, existem duas estruturas de pensamento: o do escritor e o do revisor.

Assim, ao rever escrita criativa ou literária, ou mesmo copywriting, é muitas vezes necessário olhar para uma frase de diferentes perspectivas para avaliar se existe realmente um erro. É a consciência metalinguística que nos permite distinguir estes significados subtis no texto. Em revisão, por vezes isto acontece com a concordância entre sujeito e verbo em frases longas e com mais “camadas”. Pode parecer que existe um erro, se não se conseguirmos ver a lógica completa.

Como referimos, a consciência metalinguística é também utilizada quando ensinamos ou aprendemos uma língua estrangeira. Na realidade, trata-se de uma competência obrigatória quando aprendemos um segundo idioma. 📚

Torna mais fácil aos professores abordar os aspectos mais técnicos de um idioma, proporcionando uma estrutura para os auxiliar nas explicações e ajudando os estudantes a compartimentalizar ambos os idiomas.

Como podemos ver, também usamos metalinguagem constantemente, mesmo que inconscientemente, para comunicarmos de uma forma eficaz.

Já os profissionais da área da língua, tais como tradutores, revisores e redactores, utilizam diariamente a metalinguagem como parte do seu kit de ferramentas de trabalho.

Gostou do artigo? Não perca mais sobre este e outros temas no nosso blogue, aqui.

1 Adam Jaworski et al., Metalanguage: Social and Ideological Perspectives, 2004.

Sobre o nosso blogue

Aqui, exploramos temas que nos são queridos e relevantes. Sérios, mas com um toque de humor e apimentados pela nossa paixão pela escrita! Conheça-nos “nos bastidores” e partilhe a sua opinião através dos comentários!

About our blog

This is where we explore topics that we hold dear or that are relevant. Serious, with a hint of humor and spiced up by our passion for writing! Get to know us “behind the scenes” and share your opinion in the comments section!

Categorias

0 Comments

Submit a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

This site is protected by reCAPTCHA and the Google Privacy Policy and Terms of Service apply.

Leia mais

Leia mais

Copywriting para o sucesso das marcas Parte 3

Copywriting para o sucesso das marcas Parte 3

Se pensa que o facto de os leitores não lerem os seus conteúdos na íntegra é prejudicial, está redondamente enganado! O que deverá fazer é ajudá-los a dar uma vista de olhos ao seu texto mais facilmente. Ajudá-los a detectar rapidamente os pontos de interesse é o que lhe permitirá captar a sua atenção para o restante e tornar a sua mensagem mais fácil de assimilar.

read more

Read more

Read more

Copywriting para o sucesso das marcas Parte 3

Copywriting para o sucesso das marcas Parte 3

Se pensa que o facto de os leitores não lerem os seus conteúdos na íntegra é prejudicial, está redondamente enganado! O que deverá fazer é ajudá-los a dar uma vista de olhos ao seu texto mais facilmente. Ajudá-los a detectar rapidamente os pontos de interesse é o que lhe permitirá captar a sua atenção para o restante e tornar a sua mensagem mais fácil de assimilar.

read more

Pin It on Pinterest

Share This